Homem do Texas condenado a 25 anos de prisão por agredir família asiática que ele culpou pela pandemia

José Gomez III, 21, se declarou culpado em fevereiro de três acusações de cometer crimes de ódio. A CNN entrou em contato com seu advogado para comentar.

Gomez viu uma família birmanesa com três filhos pequenos entrar em um Sam’s Club em Midland, Texas, em março de 2020 e, acreditando que eram chineses, os seguiu até a loja, segundo promotores federais.

Gomez pegou facas de cozinha que estavam sendo vendidas na loja e atacou a família, esfaqueando o pai e uma criança que tinha então 6 anos, segundo a denúncia criminal.

Os promotores disseram na quinta-feira que a lâmina da faca entrou a milímetros do olho direito da criança, cortou sua orelha e cortou a parte de trás da cabeça da criança.

Um funcionário da loja que interveio também foi esfaqueado na perna, segundo os promotores. Enquanto o suspeito estava sendo mantido no chão, disseram os promotores, ele gritou para a família asiática – “Saiam da América!”

Mulher da Flórida é indiciada por crimes de ódio após pulverizar pimenta em mulheres asiáticas em Nova York

Gomez mais tarde admitiu às autoridades que havia atacado a família e que tinha como alvo o pai e “quem eu acho que veio do país que começou a espalhar a doença”.

Gomez disse às autoridades que pretendia matar o pai e também admitiu ter como alvo as crianças, segundo a denúncia.

Os crimes de ódio nos EUA aumentaram desde o início da pandemia, incluindo ataques a asiáticos-americanos, que muitas vezes são brutalmente – e às vezes fatalmente – visados ​​e erroneamente culpados pela pandemia.

“É nossa esperança que a sentença de hoje ajude as vítimas no processo de cura”, disse o agente especial do FBI no comando, Jeffery R. Downey, em um comunicado.

“Tenha certeza, o FBI e nossos parceiros de aplicação da lei perseguirão agressivamente qualquer pessoa que cometa esses atos violentos para garantir que os direitos civis de todos os americanos sejam protegidos”.

Leave a Comment