Homem é acusado de estupro em Ohio depois que menina de 10 anos teve que cruzar fronteiras estaduais para fazer aborto após decisão da Suprema Corte dos EUA | Notícias dos EUA

Um homem foi acusado de estuprar uma menina de 10 anos depois que ela teria que viajar através das fronteiras estaduais para fazer um aborto após a decisão histórica da Suprema Corte dos EUA.

A história da jovem foi destacada pelo presidente Joe Biden na semana passada, quando ele assinou uma ordem executiva destinada a proteger o acesso ao aborto.

O líder dos EUA alertou que a decisão histórica do tribunal de maioria conservadora coloca em risco a ‘saúde e a vida’ das mulheres.

A denúncia do suspeito em Ohio veio dias depois que o governador republicano do estado e outros conservadores levantaram questões sobre se a história era real.

Um detetive testemunhou na quarta-feira que a polícia soube da gravidez da menina por meio de um encaminhamento de serviços infantis que foi feito por sua mãe e que ela fez um aborto em Indianainformou o Columbus Dispatch.

Uma médica de Indianápolis que presta serviços de aborto, Dra. “batimento cardíaco fetal”.

Leia mais: Suprema Corte dos EUA – do aborto à contracepção o que pode acontecer a seguir?

Aparecendo na Fox News na segunda-feira, o procurador-geral republicano de Ohio, Dave Yost, disse que não ouviu “um sussurro” da polícia de Ohio sobre quaisquer relatórios ou prisões feitas em conexão com esse caso.

Yost sugeriu mais tarde na entrevista que a jovem vítima de estupro teria cumprido a exceção da proibição do aborto em Ohio para emergências médicas.

Não está claro, no entanto, se a condição da menina atendeu à definição de emergência da lei, que deve ser fatal ou envolver um “risco sério de comprometimento substancial e irreversível de uma função corporal importante”.

Em um comunicado na quarta-feira, Yost disse que o Departamento Estadual de Investigação Criminal está pronto para ajudar a processar o caso.

Leave a Comment